Quando iniciar os ensinamentos éticos a uma criança?

Vou contar à vocês uma história de quando o meu filho ganhou o seu primeiro cofrinho com 3 anos. Ele não entendia bem o que era aquilo, acredito que ele achava legal guardar aquelas moedas brilhantes. Um belo dia, viajamos à casa da avó do meu esposo. Lá estávamos os dois e de repente me deparei com uma situação inusitada, meu filho acabara de pegar uma moeda que não o pertencia e a guardou no bolso. No momento fiquei furiosa e tensa com a situação. Por um instante fiquei sem reação (mas esse momento não durou 1 segundo). Olhei para ele e disse; “o que você guardou no bolso.” Ele me disse que não era nada. Respirei fundo e falei para ele se ele não me mostrasse no “3” ele iria sofrer alguma punição. Contei até 3 e nada. Então falei para ele que ele iria para o cantinho “pensar” e quando ele soubesse o que ele estava guardando no bolso para ele me contar.

Ele chorou bastante e relutou, depois de 2 minutos no cantinho ele parou de chorar e então eu fiz a mesma pergunta. Foi ai que ele me mostrou a moeda. Naquele momento eu expliquei que a moeda não pertencia a ele e por isso ele não poderia agir daquela forma. Perguntei para ele se ele gostaria que alguém fosse à nossa casa e pegasse o cofrinho dele cheio de moedas. Ele disse que não.  Então eu pedi para ele ir até a bisavó, devolver a moeda e pedir desculpa. Quando ele chegou e mostrou a moeda para ela e pediu desculpa ela ficou sem entender. Contei para ela toda a história e ela deu a moeda à ele. Aproveitei a situação e expliquei para ele que ele só pode aceitar algo se foi dado para ele, caso contrário às coisas devem ser mantidas em seu devido lugar.

Os pais tem mania de acharem que um bebê “não entende de nada”. Tem pais que acha lindo quando o filho de 8 meses começa a dar “tapa” no rosto deles. “Nossa, olha meu filho sabe bater! Que lindo, não doí! É tapinha de amor!” É a partir deste gesto “lindo” que o seu filho passará a não ter regras.

Experimente falar não, com a voz firme e levemente alta para um bebê de 8 meses, você já viu a reação dele? Como ele tem essa reação se ele “não entende nada?”

Sim papais, eles entendem, ou melhor, sabem distinguir o seu tom de voz para o que é certo e o que é errado. A educação começa desde cedo. Os limites aos filhos devem ser impostos desde o primeiro dia de vida deles, só assim os seus filhos irão se tornar cidadãos do mundo. Explique sempre o ocorrido para o seu filho, pergunte-o como foi o dia dele, não o oprima, opressão causa revolta! Converse de uma forma leve e tranquila, com imposição que ele irá entender o recado. Nunca, jamais ria de algo que ele faça agora enquanto bebê, que você não gostaria que ele fizesse ao crescer. Até porque para nós pais os filhos são “eternos bebês”, mas diante deste pensamento, crie-os para o mundo e não para você, sem claro perder a essência materna e paterna. Até porque, nós adultos amamos um colinho de vez em quando, agora imagina nossos filhos.

Eduque-os com ética e com respeito, mostre para ele que o desrespeito gera desrespeito. Converse sempre, essa é a melhor arma da educação. Não vire as costas para o problema, trate-o sempre com carinho e dedicação.IMG_93034296175339.jpeg

Anúncios

Lei que proíbe mães de amamentar em público: mais uma vítima da internet

Boa tarde pessoal!

 

O artigo que compartilho agora é bastante interessante. Este tema já foi discutido em nosso blog. Caso tenha qualquer dúvida, estou a disposição.

———————————-

Por: Thiago Pacheco

Escrevo este artigo para falar de um fato demasiado antigo, mas como ainda vejo e ouço certo fervor por uma situação equivocada sinto que uma discussão faz-se necessária, para que surjam alguns esclarecimentos.

Passei a acompanhar com mais atenção o constante repúdio manifestado em posts e comentários nas redes sociais decorrente de uma aprovação de suposta (ratifico, suposta) lei que proibiria a amamentação em ambientes públicos.

Essa aprovação não existiu porque tal regulamento não existe! O que de fato aconteceu foi a sanção de uma lei pelo prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), que prevê multa de R$500,00 para estabelecimentos que proíbam amamentação em público, após um episódio no Sesc Belenzinho, em 2013, onde um funcionário repreendia uma mãe que alimentava seu bebê.

Vale ressaltar mais uma vez que trata-se de uma lei municipal, válida no município de São Paulo. Existe norma semelhante no Rio, com uma multa mais salgada – R$2.000,00.

Lei que probe mes de amamentar em pblico mais uma vtima da internet(foto: Reprodução/Facebook)

A imagem acima fora utilizada nos posts que trazem de forma errônea essa suposta aprovação, mas ela é datada de outubro de 2013, tirada durante um evento organizado por uma Universidade de Medicina russa, criado para incentivar a amamentação materna.

Para que tal matéria entrasse em vigor seria necessário passar por aprovação pelas duas casas legislativas (Câmara Legislativa e Senado Federal) em Brasília, além de ter a sanção da Presidente. Ora, não me parece possível que a Representante maior do nosso Estado – mãe que é – sancionaria uma lei como essa. Que fique claro, ao falar da Presidente o meu interesse não é levantar discussões políticas.

Por fim, reitero que as informações divulgadas são infundadas, não tendo o mínimo embasamento legislativo.

A incoerência desse episódio torna-se ainda mais gritante quando sabe-se que os deputados cujo seriam responsáveis pela autoria da lei existem, de fato, porém sãomexicanos. Isso mesmo, Oscar Garcia Barron e Rogério Castro Vazquez sãopolíticos do México.

Além de informar, este artigo tem como função reduzir a reprodução de um conteúdo equivocado nas redes sociais. Atualmente, com a facilidade para escrever coisas infundadas e a facilidade de difusão de informações (sejam elas verdadeiras ou não), não se pode apenas “compartilhar” algo que está sendo falado, faz-se imprescindível checar a veracidade.

O mundo já tem muitos motivos para raiva e confusões, que tal espalharmos um pouco mais de amor, paz e harmonia?

REFERÊNCIAS

JUSBRASIL. Lei que proíbe mães de amamentar em público: mais uma vítima da internet 2016. Disponível em: <http://thiaagop.jusbrasil.com.br/artigos/304237775/lei-que-proibe-maes-de-amamentar-em-publico-mais-uma-vitima-da-internet?utm_campaign=newsletter-daily_20160211_2792&utm_medium=email&utm_source=newsletter&gt;. Acesso em 12 fev.2016.

E-FARSAS. Lei proíbe mulheres de amamentar em público? 2016. Disponível em: < www.e-farsas.com/lei-proibe-mulheres-de-amamentar-em-público.html >. Acesso em: 10 fev. 2016.

MARTINELLI, Andréa. Prefeito Fernando Haddad aprova lei que multa quem impede amamentação em locais públicos. 2015. Disponível em: <http://www.brasilpost.com.br/2015/04/14/amamentacao-haddad_n_7062598.html >. Acesso em: 10 fev. 2016.

Portal Brasil. Câmara dos Deputados e Senado compõem o Poder Legislativo. 2016. Disponível em: < http://www.brasil.gov.br/governo/2009/11/câmara-dos-deputadosesenado-compoemopoder-legislativo# >. Acesso em: 10 fev. 2016.

SÃO PAULO (Município). Diário Oficial da Cidade de são Paulo. Lei nº 16.161, de 13 de abril de 2015. Dispõe sobre o direito ao aleitamento materno no Município de São Paulo, e dá outras providências. Disponível em: <http://www.imprensaoficial.com.br/PortalIO/DO/BuscaDO2001Documento_11_4.aspx?link=/2015/diário%2520o… >. Ano 60, n. 69, p. 1. Acesso em 10 fev. 2016.

A nossa vida com restrições alimentares

Para uma mãe, é muito difícil ouvir que o seu filho não pode.

Mães querem dar tudo aos filhos, mas dentro do limite é claro. Nesse tudo inclui toda experiência boa que a mãe já passou seja ela física, emocional ou alimentar.

E, Como é bom alimentar-se bem, uma pizza aqui, um sorvete ali, uma trufa aqui…. Hummm dá água na boca só de falar. Mas será que alimentos a base de leite e glúten são realmente benéficos à saúde?

Segundo a nutricionista Andréa Santa Rosa o glúten provoca inflamações que podem gerar inchaço, dores articulares e indisposição. Retirar a substância do cardápio elimina estes problemas e ainda ajuda na perda de peso. Eu posso garantir tudo isso. Após a retirada do glúten da minha alimentação comecei a me sentir muito mais disposta e menos inchada.

Já o leite é um pouco diferente, alguns estudiosos acreditam que mesmo o homem sendo o único mamífero a tomar leite na fase adulta ele traz benefícios à saúde, evitando a osteoporose e sendo uma grande fonte de vitaminas B2, A e D. Algumas pessoas possuem intolerância ao leite, ou seja, não conseguem digerir o açúcar presente no leite. Outras possuem alergia ao leite, que pode sumir de acordo com o passar dos anos.

A minha intolerância foi descoberta através do Miguel, toda vez que ele mamava o refluxo era bastante intenso e ele não conseguia ganhar o peso esperado, então, como eu o-amamentava, a Gastropediatra sugeriu que fosse retirado o leite da minha dieta. Após esta retirada o Miguel melhorou e as minhas idas ao pronto socorro também. IMG_20160120_010149

Hoje o Miguel já come de tudo e como ele adora um sorvete de chocolate!

Essas idas proviam de uma intensa cólica intestinal e vomito a famosa “virose” que um dia resolvi investigar a fundo graças a uma Gastroenterologista conhecida em Goiânia se tornou uma intolerância mediana descoberta em um exame laboratorial. No momento ela me disse que existia uma enzima “lactosil” que eu poderia adicionar a comida, essa enzima iria auxiliar na digestão do açúcar do leite. A notícia ruim seria que esta intolerância irá acompanhar-me por toda vida.  Diferente da alergia ao leite, que deve-se excluir o alimento por completo da alimentação,  a intolerância é tratada, ou seja, não haveria necessidade de retirar todo leite da minha alimentação. A adição da enzima seria controlada por mim, eu teria que testar o meu limite de intolerância, no meu caso 1 sachê dura 4 refeições com lactose. A notícia boa era que a bezerra-mãe aqui não iria ficar sem o seu sorvete, biscoito de queijo, pãozinho, queijo, pizza e etc.

Quando a Alice nasceu a história foi outra, não tive problema com a alimentação dela até introduzir os primeiros alimentos. A Alice nasceu com 49 cm, pesando 2kg 590g quando ela mamava em mim ela cresceu e engordou na média, o que é normal. Com a introdução alimentar a Alice começou a emagrecer, ter crise de diarreia, tosse, vômito e além de tudo a pele dele vivia com bolinhas. Levei-a ao Gastro por sugestão do Pediatra, a Gastro a-examinou e nos informou que ela não tinha nada. Por causa da tosse decidi leva-la a uma Pneumologista, foi então que surgiu a dúvida da alergia. Fomos encaminhadas à uma alergista. Fizemos o teste pric e deu positivo para leite, glúten, amendoim e frango. Por causa deste teste tive que mudar a minha alimentação. Retirei tudo que continha esses alimentos. No começo foi super difícil, hoje, realmente não sinto falta. Consegui substituir todos os alergênicos por outros alimentos mais saudáveis. Antes me sentia inchada e indisposta, hoje me sinto muito melhor.

Como dica o leite pode ser substituído por leite de coco, soja, arroz e o trigo por farinha de arroz e polvilho. As receitas ficam super leves e gostosas, além de tudo emagrece que é uma beleza.

Após dois meses fizemos o exame de sangue e o pric teste na Alice, os exames deram negativos, ou seja, as alergias “sumiram”. Era o que nós achávamos. Começamos a reintrodução alimentar em Dezembro, primeiro foi a carne de frango, foi um sucesso. A Alice não adoeceu. Em Janeiro fizemos a introdução do glúten, na quarta semana do mês a Alice pegou uma virose. Entre idas e vindas a virose perdurou-se até domingo passado. Quando comecei a ligar A com A descobri que a “virose” era a alergia voltando.  Tentei rever a alimentação, pois não é comum um bebê ter a mesma virose por 3 semanas seguidas. Percebi que depois de comer alimentos com frango a Alice vomita e tem diarreia, além de empolar. Isso piora com a adição do glúten, ou seja, voltamos à estaca zero. Agora o que temos que fazer é aguardar a recuperação natural do organismo da Alice para que fazermos a reintrodução.

IMG_20160208_083536

Viver sem glúten e leite não é ruim. Às vezes é corrido preparar uma tapioca pela manhã no lugar de comprar um pãozinho na padaria. É bem mais fácil não ficar lendo rótulos que as vezes escondem os alergênicos. Um mito que deve ser excluído é sobre o valor dos alimentos zero que existe no mercado, por exemplo, uma farinha de arroz custa em média R$1,50 o Kg enquanto o kg da farinha de trigo é quase três reais. A única dificuldade é o tempo para o preparo dos alimentos. Mas o melhor disso tudo é que a vontade de comer glúten e derivados do leite passa, no começo é difícil abdicar ou substituir tantas gostosuras, depois que você pega a prática na cozinha fica muito mais fácil. Além de tudo mamães, emagrece!!!

 

Como conciliar a maternidade e o trabalho?

Aquela velha história, o filho nasce e poucos meses depois bate aquele desespero… boom… COM QUEM VOU DEIXAR O MEU FILHO?

Tá, essa frase é um pouco ultrapassada, mas é a mais polêmica de toda mãe que além das tarefas domesticas tem que enfrentar 8 horas diárias de escritório, para não falar 10, contando com 1 hora de almoço.

Meu desespero começou quando o Miguel completou 11 meses ai veio a cobrança de todos, mas puxa você vai ABANDONAR o seu filho? Olhe lá! Não é abandono, afinal eu estudei 4 anos para quê? Não é abandono, deixar o seu filho com  um completo estranho, não, não é abandono.. foi o que pensei.

Bem nossa saga iniciou… primeiro decidimos colocar alguém em casa para cuidar do Miguel, afinal morávamos com os meus sogros e meu sogro é aposentado então não bateu aquele medo de DEIXÁ-LO com uma estranha…. ahh tá!

Sim, o medo bateu… no inicio trabalhava de segunda a sábado e a pressão era tamanha.. mas ai chegava em casa e sempre aquela noia, checava cada parte do corpo dele detalhadamente, afinal hoje em dia não se pode vacilar e não nego até hoje faço isso.

Mas bem, tudo tranquilo até que a menina me diz; “Vou ter que sair… sair… sa…ir… SAIR!”

Pronto, o que eu vou fazer?CAM00374

Bem naquele momento eu havia acabado de receber uma proposta para trabalhar em uma multinacional! E agora? Como faço?

Fiz o que toda mãe de inicio de carreira e de primeira viagem  faria: “MENTIRA!” Aceitei a proposta.

Pois bem, tudo lindo, o emprego que eu queria, e o Miguel?

Conseguimos uma vaga para ele no CMEI. Quando eu fui visitar o CMEI não tive coragem de deixa-lo. O CMEI que conseguimos era abandonado, tudo velho, janela quebrada…

Então fui procurar berçários na região, encontrei um que também não gostei. Então fui à busca de um berçário próximo do meu trabalho. Encontrei dois, um já experiente e um que havia acabado de começar. Decidi coloca-lo no mais experiente.

 

As primeiras semanas foram tensas, vinha roupa com cocô, o Miguel estava sempre com a fralda suja e sem meia. Não adiantava conversar com as tias e a dona do berçário, esperei uma semana (tempo de mais) e resolvi leva-lo para o outro berçário. Lá foi simplesmente ótimo, eles faziam tudo o que eu pedia, tinha muito cuidado com ele.  Porém toda vez que eu deixava ele, ele chorava bastante. Eu ligava várias vezes para saber como ele estava ficava preocupada com a situação, pois a angustia da separação era tanto da minha parte como a da dele, essa angustia durava somente a hora de deixa-lo, quando eu ia buscar ele tinha dia que ele não queria ir embora queria que eu ficasse com ele lá brincando, percebi também que ele gostava bastante das tias que cuidava dele e além de tudo, como eu disse, o Miguel sempre vinha limpinho e bem cuidado.

 

Mas nem tudo foi as mil maravilhas, o Miguel começou a ter crise de bronquite e as internações começaram. Eram 7 dias seguidos internados. Fui chamada para conversar pelo RH da empresa. Pedi compreensão e mesmo com o meu filho internado, ter passado a noite em claro, ia trabalhar pelo menos um período.

 

Não era fácil, alias nada nessa vida é. Até que o Miguel começou a melhorar das crises e esse ano fecho em chave de ouro, não houve nenhuma internação GRAÇAS A DEUS!!

 

Com a Alice a preparação foi mais fácil #sqn Foi muito mais difícil ou difícil igual. Graças a minha sogra a Alice pôde ficar com ela com 4 meses completos para eu voltar a trabalhar.  Era muito difícil, tentei dar a mamadeira para ela, comprei a bombinha de tirar leite e nada dela pegar a mamadeira. Tinha dia que eu chegava em casa e percebia o desespero no rosto da minha sogra, pois ela via o quanto a Alice estava sofrendo com a situação.

 

Eu chorava todos os dias. E quando chegava em casa e ela mamava, nossa para mim não existia coisa melhor, era um  momento que eu não queria que passasse NUNCA!

O Nelson ficou com a Alice por mais um mês e logo eu tirei as minhas férias. Para falar a verdade eu não queria voltar nunca delas. Mas o meu trabalho é muito bom, todos são bastante compreensivos. Conversei com eles sobre o meu horário de almoço para poder continuar a amamentar a Alice e eles aceitaram.

 

Encontramos um berçário excelente a Alice se adaptou super bem. Ela é o xodó de lá. Ia amamentar no meu horário de almoço e toda vez quando eu chegava a minha potoquinha abria aquele sorriso. Fui me acalmando e hoje já não me preocupo tanto, já não ligo as 4 vezes no berçário como eu ligava antes. Mas a saudade dos dois é imensa, não existe nada melhor do mundo do que chegar em casa e encontrar o “OIIII MAMÃE “ do Miguel e o gritinho da Alice acompanhado do sorriso dos dois.

A gravidez como nunca te contaram

O que a maioria não sabe é que a gravidez é dividia em trimestres e o que todos também não sabem é que VOCÊ NÃO DEVE COMER TUDO QUE VÊ PELA FRENTE quando está gravida.

Primeiro Trimestre ( 1ª a 13ª semana)

CCI00001Você está grávida ou vocês estão grávidos, parabéns!!!

Não existe nada melhor do mundo em saber que há um ser dentro de você. Aliás, não existe nada mais frustrante em saber que há um ser dentro de você. Mais é uma frustração super boa… No começo agente fica um pouco aérea, mesmo sendo uma gravidez planejada. Ás vezes agente fica confusa. Daí você começa a cair na real que você terá responsabilidade sobre uma pessoa PELO RESTO DA SUA VIDA. Então, bate aquele desespero, será que eu REALMENTE estou preparada para lidar com um bebê?

Sim meus amigos, se você está lendo este post é porque você ESTÁ preparado e muito bem, nunca duvide da sua capacidade, nunca desista deste privilegio e nunca passe essa responsabilidade para alguém. Neste momento você já procura todas as histórias sobre gravidez, vê uma roupinha de bebê e imagina o seu (sua) filho(a) nela. Imagina a cor dos olhos, do cabelo, o formato da boca, os bracinhos…  Logo você escuta aquele coraçãozinho batendo tão rápido dentro de você e surge então o amor à primeira vista que antes você acha que conhecia, mas que você realmente conhece quando o escuta pela primeira vez. E aí some a frustração, o desespero sai e dá lugar a melhor sensação do mundo!

Mas aí começa os enjoos matinais… De repente você fica frágil e por onde você anda você acha que alguém está te olhando. Depois você se sente radiante, linda, quer mostrar a barriga logo e não vê a hora de sua barriga estar estilo; “grávida de quíntuplos”.

Segundo Trimestre (14ª à 26ª semana)

Agora você já consegue ver o seu filho no ultrassom, o seu feijãozinho já é um bebê, sim, tão pequenininho que não dá para imaginar. Por incrível que pareça agora você já consegue ver uma coisa que antes você se achava incapaz de enxergar, o seu filho naquela imagem preta que todas as mães que você conhece posta dizendo “a primeira foto do meu bebê”.

Neste momento você fica tão ansiosa para saber o sexo do bebê, que vai chegando o dia do ultrassom e você não consegue comer direito ou come de mais, ou seja, a ansiedade vai a mil. No ultrassom o seu filho não coopera ele faz gracinha, cruza as pernas, chupa os dedinhos, vira de lado, passa a mão no cabelo. Daí a frustração por descobrir o sexo do bebê passa e você se sente aliviada em saber que o seu bebê está bem e protegido.

A barriga começa a aparecer e suas roupas já começam a não servir. A ansiedade é tanta que você quer se acabar em uma piscina de sorvete com calda de chocolate, nutela, frango, pipoca, batata frita e pizza. Sim, nós mães sentimos fome e conseguimos comer tudo isso de uma vez. Sua mãe e sua avó diz o seguinte, filha coma tudo que você tem vontade. Daí você enfia o pé na jaca e engorda 5 quilos neste mês. E então sua barriga aparece e você fica toda orgulhosa porque seu bebê está grande e gordinho (pelo menos é isso que você acha né?)

Chegando à consulta mensal o seu médico briga com você e diz que se você continuar com este ritmo você poderá adquirir uma pré-eclampsia ou diabetes gestacional e você descobre que o seu bebê não está gordinho, ele está na média, mas que você está gorda! Sim gorda!! Suas roupas não te servem e aí você se sente frustrada outra vez….

Terceiro Trimestre ( 27ª à 40ª) semana

Suas roupas não te servem e você já engordou 10 quilos, os enjoos finalmente passaram ou no meu caso (diminuíram) e você já se sente cansada para fazer praticamente TUDO. Agora você começa a fechar a boca e a comer normalmente.   Você já não vê a hora para o seu bebê nascer e toda consulta você fica perguntando qual é a data provável do parto ou que dia que vamos marcar a cesárea? Neste momento nenhum dos 4 travesseiros (um na cabeça, um entre as pernas, um de baixo das pernas, um nas costas e um em baixo da barriga) te ajuda a dormir. Você deita de frente e se sufoca, vira de lado e parece que você está sufocando o bebê. Dormir neste momento é para os fracos. Qualquer coisa que você sente de diferente você já acha que está na hora. Você já participa de algum tipo de grupo de apoio a pais. Daí você vai fazer a ultrassom e consegue ver os traços do seu bebê, e o melhor, você neste momento já descobriu o sexo do bebê e o seu enxoval agora passa a ter uma cor e uma carinha linda!

Hoje você se prepara para a tão esperada hora ou momento. As roupinhas já estão na gaveta e a mala já está pronta! Você já fez o trajeto com o seu marido para o hospital umas 500 vezes para ter certeza que no momento irá ocorrer tudo bem. Vai chegando a hora e você está preparada, se você não estiver tenha calma! Como a minha sogra uma vez me disse se entrou tem que sair de algum jeito, certo?

E chegou a hora… começou as contrações e por incrível que pareça, não doí ou melhor é suportável! E as contrações são acompanhadas de um sorriso seu, quando você menos espera… PUM, shuaaa (era como eu imaginava que seria) você sente aquela vontade de ir ao banheiro e começa a fazer “xixi” pelas pernas a baixo. Quando você percebe que não era xixi aí você desespera, imagina que o seu bebê vai cair a qualquer momento e você esquece de todos os relatos de partos que você leu.

Agora você descobre que todos os relatos de partos que você leu não serve para você e que este momento é único, só seu. Neste momento, Tenha calma, respire fundo, ainda dá tempo de ir ao hospital. Pegue suas coisas com calma e vá ao hospital. Está na hora!!

 

O bebê na primeira semana

O seu bebê nasceu! Ele (a) é lindo (a) é seuuuuu!!! Neste momento você finge que esquece qu
ando descobre que você deveria ter comido normalmente que o seu filho teria nascido com o mesmo peso. Afinal NASCEUUU!!! Agora você não quer desgrudar mais, mesmo cansada você quer ele(a) só para você e você adquire a síndrome da separação, a todo momento você acha que o seu bebê ainda está dentro de vOgAAAJ_vosbrToFsD_hVgZn-W-XyP9jIiM89fCHt5ql6a2uIUAmXti95lWlm_n3i5QJWU40Az6WKsKyMNW4hRoWVdyIAm1T1UKCx7FIVXULBy7XbNTmEkP-cpGyqocê e fica a todo momento passando a mão sobre a sua barriga. Agora você sente saudade da gravidez e parece que uma parte de você foi embora, mas na verdade lá está ela do seu lado, toda linda, todo lindo com aquela roupinha maravilhosa que você ficou emocionada ao ganhar ou comprar. E você acha que você quer dormir? Não, você vira um zumbi, adquire uma força do HE-MAN, ou melhor, SHE-WOMAN e quando o seu bebê dorme você fica ao lado do berço sentindo a respiração dele e agora ele é TUDO na sua vida!

Dicas

Registre todos os momentos em fotos, faça fotos divertidas da sua gravidez. Durante a gravidez viaje com o seu marido, curta ao máximo o momento a dois e explique para ele que a sua atenção passará a ser do seu bebê. No entanto, NÃO DEIXE SEU MARIDO DE LADO. Não expulse o seu marido da sua cama e dê lugar ao bebê. Monte o berço do seu filho no seu quarto até o segundo mês, o casal precisa de um momento a dois e eu não acho nenhum pouco saudável para os pais e para o bebê dormir no quarto dos pais. Todo casal mesmo sendo pais precisam do seu quarto e da sua privacidade!

 

Não seja aquelas mães super enjoadas, lembre-se o filho não é só seu e você não cria o filho para você e sim para o mundo!

Ser mãe é doar, então doe, mas não se esqueça do seu parceiro e ESPECIALMENTE DE VOCÊ!!!

É comum o Meu filho ter medo do Papai Noel?

 

 

Simmmm e muito comum, entenda porquê esse medo acontece…

Como pais ficamos eufóricos com a chegada do Natal, especialmente por toda aquela decoração, o espírito de Natal contagiante e, é claro, é a tão esperada época para levar os nossos filhos para “conhecerem” ou “encontrar” o bom velhinho.

E quando esse encontro não é tão emocionante como gostaríamos que fosse, o que devemos fazer?

Se o seu filho for do tipo que tem medo do Papai Noel, não insista para tirar a tão esperada foto. Se você quiser muito que o seu filho tire a foto opte por se sentar ao lado do bom velhinho com o seu filho no colo, isso evitará traumas futuros.

Geralmente o medo está ligado a Angustia da Separação que é bem comum para crianças menores de dois anos. Além disso, convenhamos, o Papai Noel é um ser totalmente diferente daqueles que as crianças convivem no dia a dia e até elas entenderem quem é o bom velhinho é normal que elas se sintam frustradas ao lado dele.

Normalmente a crise de choro acontece bem no momento em que você vai bater a foto, pois inicialmente a criança “analisa” quem está tocando nela, por isso é comum vermos tantas fotos em que o bebê só está olhando para o Papai Noel. Assim, Antes de colocar a criança no colo do Papai Noel vá próximo ao Papai Noel e explique que vocês irão se preparar para tirar uma foto linda com ele e vá explicando na fila (que por sinal é imensa) o sentindo do Natal, vá mostrando os enfeites, sempre reforçando que você vai tirar uma foto dele no colo do Papai Noel.

Se o seu filho der aquela crise de choro em seguida pegue-o no colo, lentamente abrace-o e diga o seguinte: “Não tenha medo, eu estou aqui com você o Papai Noel só queria saber o seu presente.” Quando chegar no Natal ao presenteá-lo diga: “Olha filho o que o Papai Noel deixou para você, ele é muito bondoso…” E é claro, explique desde cedo o sentido do Natal, pois a criança nunca deve associar o Natal a presente e sim ao nascimento de Jesus, ao amor, doação e a família.

Hoje, como o Miguel está maior nós sentamos com ele e pedimos para ele colocar os brinquedos que ele não brinca mais em uma caixa para darmos as crianças que não tem com o quê brincar. Se possível leve o seu filho para fazer a doação dos brinquedos, pois é muito importante o seu filho desde cedo começar a entender que devemos fazer o bem a todos que nos cercam. Lembre-se, somos nós que damos o bom exemplo não só na época do Natal, mas em todos os dias das nossas vidas. Então desejamos a você que o espirito de Natal permaneça em seu coração em todos os dias da sua vida. Tenha um feliz Natal e um próspero Ano Novo.

Fotos: http://curioso.ig.com.br/index.php/2008/12/20/muuuuito-medo-do-papai-noel-votacao-final/comment-page-8/